• Bruno Souza

Apenas Amor


Você é realmente é você?


Se sim, o que te dá tanta certeza assim disso?


Quais são os critérios que você utiliza para se certificar disso?


Você ao olhar no espelho se reconhece?


Eu sou eu, sinto isso. Mas estou certo?


Imagine que está numa mesa de jantar com sua família. É possível você saber quem são as outras pessoas? Quem elas realmente são?


Não. Eu posso estar vendo minha mãe, uma pessoa com o mesmo rosto mesmo tudo, inclusive o cheiro. Tudo me diz que é minha mãe, mas eu não tenho como saber de fato se é ela.


Da mesma maneira, só tem uma pessoa que pode realmente me conhecer.


Eu.


Outrossim, só uma pessoa sabe como eu vivo minha sexualidade, ser homem ou mulher ou o que for. Ambos, nenhum, às vezes algo disso.


Se nós aceitarmos que somente nós sabemos quem somos, podemos então começar a aceitar que as pessoas sabem muito bem quem elas são.


Não nos cabe falar sobre quem as pessoas são.

Não nos cabe falar sobre o corpo das pessoas.

Não nos cabe falar sobre quem as pessoas amam.


Se acharmos que isso nos cabe meus caros.


Estamos sendo tolos.


Muito provavelmente estamos falando mais de nós do que de fato do outro.

© 2019 por Bruno Souza. Imperfeito e original