• Bruno Souza

Eu sei que nada sei.


Eu vou ser bem honesto. Não sei o que escrever hoje, eu simplesmente.

.

Não sei.

.


Talvez seja melhor assim. Eu começo sendo honesto comigo e então sou honesto com você.

.


Quem sabe dai eu posso começar algo com você?

.


O que pode surgir dai? Um verdadeiro dialogo?

.


Você já saiu com algum amigo e sabia antes de sair de casa que queria desabafar, falar sobre algo?

.


Ou um primeiro encontro, que você tenta imaginar o que falar e como seguir dali?

.


Uma apresentação importante e se prepara para a banca pensando no que vai responder.

.


Existem situações muito importantes em que você deve se preparar.

.


Mas será que essa situação agora eu preciso me preparar para o que vou escrever?

.


Será que de alguma forma você precisa se preparar para o que vai ler?

.


Eu acredito que não.

.


Eu não tenho que escrever nada para lhe agradar, assim da mesma forma que você não tem que continuar lendo o que estou escrevendo.

.


Hoje, assim como em todos os outros dias, eu sou um louco que escreve seus devaneios.

.


Hoje eu não sei o que falar para você. Mas talvez isso seja essencial.

.


Porque a partir do momento que eu começo a me relacionar sem saber o que esperar de você, eu posso realmente atingir você.

.


Imagina um psicólogo que sabe a resposta para todas as suas dúvidas? É apenas impossível.

.


Eu já senti tristeza é claro. Você também é claro.

.


Mas será que sentimento da MESMA forma?

.


Eu não sei, talvez.

.


Eu estou disposto a não saber nada e não esperar nada de você.

.


Dai então talvez, apenas talvez você esteja disposto a compartilhar comigo algo importante para você.

.


Acho que em toda terapia vale mais estar com você ali de verdade, disposto a ouvir e me relacionar com você do que ter que achar a resposta certa para cada pergunta.

.


Aliás, isso existe? Resposta certa?

.


Talvez você saiba essa resposta, mas eu?

.


De verdade.

.


Não sei.

© 2019 por Bruno Souza. Imperfeito e original