• Bruno Souza

Não é não.


Segunda de carnaval! Alegria, com os foliões na rua e o constante som de tambor do lado de fora da janela.

.


Enquanto alguns festejam e se expressam através de suas fantasias, outros aproveitam o momento para descansar no aconchego de seus lares.

.


O carnaval é de todos e cada um aproveita a sua maneira. Portanto, hoje vamos falar de LIMITES.

.


Qual o seu limite nesse carnaval?

.


Limite físico, aquele momento que você está cansada e pensa que quer dar uma parada ou ir para casa. O que te faz não respeitar esse limite?

Limite quanto a bebida. Quantas latinhas são necessárias para acalmar a sede de diversão?

Limite para aqueles que não acreditam que existam limites no carnaval, que utilizam da época para fazer um playground com o corpo de outras pessoas.

.


O que você não pode fazer no seu dia a dia que faz com que você acredite que possa nessa data?

.


Limite é individual. Eu respeito os meus limites e respeito os dos outros.

.


Infelizmente não podemos agir esperando que não façam conosco o que não faríamos com outros. É necessário conhecer nosso limite e evitar que cruzem nossas fronteiras.

.


Seja a fronteira que for.

.


Querem tocar em mim sem autorização? Querem que eu beba sem querer? Querem que eu fique mais um pouquinho mesmo com os pés doendo?

.


Aproveite o carnaval, da maneira que você quiser.

.


E lembre-se que é fundamental que você saiba seu limite!

.


Não significa apenas uma palavra.

© 2019 por Bruno Souza. Imperfeito e original